Eucalyptus camaldulensis seed1

As florestas plantadas são aquelas intencionalmente produzidas pelo ser humano. Na grande maioria são florestas equiânias (com árvores da mesma idade), e formadas por uma única espécie (portanto, monocultura), embora haja exceções. Também na sua maioria, têm como objetivo a produção de produtos madeireiros, embora existam florestas plantadas com fins de recuperação de áreas degradadas e lazer, por exemplo.Em geral, estas florestas são plantadas em grande escala por empresas que irão utilizar os produtos gerados. No entanto, a questão de escala é relativa, e muda conforme regiôes e países. em alguns locais, as florestas também são plantadas por pequenos proprietários e terras, para consumo próprio e venda da madeira, já que a floresta, ao contrário da maior parte das culturas agrícolas, não se perde tão facilmente com secas, chuvas excessivas e outras variações do clima.

Etapas
O objetivo desta seção é relacionar as etapas encontradas na maioria dos sistemas de produção de florestas plantadas. Primeiro, para fornecer uma visão geral do assunto; segundo, para incentivar a criação de novos artigos relacionados a cada etapa.

Mapeamento: Com o objetivo de criar condições para o planejamento e controle da floresta que será implantada, faz-se um mapeamento utilizando diversas técnicas como: Topografia (mais comum para pequenas áreas), Sensoriamento remoto, Geoprocessamento, Aerofotogrametria, entre outros. Os mapas gerados serão a base para a divisão da área em áreas de plantio, estradas, benfeitorias e áreas de preservação.
Planejamento: Vale fazer distinção de dois momentos de planejamento. O primeiro acontece antes da implantação da floresta, e é o que vai determinar as áreas de plantio, os métodos e recursos utilizados e um primeiro Cronograma. Seu objetivo é fazer com que o novo povoamento florestal atinja os objetivos para os quais está sendo iniciado. O segundo é o planejamento operacional, que acontece todos os anos, meses, ou com qualquer periodicidade que o(s) administrador(es) considere(m) necessário. Este visa a execução e acompanhamento das atividades necessárias para a sobrevivência da empresa.
Construção de Estradas: Para os produtores florestais, a estrada tem duas funções: locomoção (tanto de insumos e Máquinas quanto de madeira) e proteção, servindo de barreira para controlar o fogo em caso de incêndios. Sua localização é estudada para otimizar o transporte, evitando grandes declividades e áreas alagadiças, quando possível.
Preparo de solo: o preparo cria as condições ideais (ou mínimas) para o plantio e desenvolvimento da floresta. Os métodos dependem de vários fatores e precisam ser analisados em cada caso.

Preparação da Muda (ou semente)
Plantio: Pode-se plantar florestas por mudas ou sementes. A escolha depende mais da espécie escolhida e da tecnologia disponível.
Adubação: As plantas possuem necessidades nutricionais que nem todos os tipos de solo podem suprir. Como qualquer cultura agrícola, algumas florestas necessitam de fertilizantes. O número e épocas de aplicação varia com a situação.
Tratos culturais: outras atividades necessárias para o crescimento da floresta, e sua adequação aos objetivos de produção. Por exemplo: Poda-se os galhos inferiores para diminuir a formação de nós, visando produção madeira para serraria.
Inventário florestal: É a ação que busca conhecer a floresta para otimizar a sua utilização. É executado periódicamente ou meses antes do uso da floresta, e gera conhecimento qualitativo (quais espécies, condições de sanidade, etc.) e quantitativo (quantidade de árvores, de volume de madeira, etc.) sobre o povoamento florestal.
Proteção florestal: Ações que visam proteger a floresta de incêndios, pragas – inclusive infestações de formigas após pragas -, doenças e quaisquer elementos que ameacem a integridade do patrimônio florestal. Envolve monitoramento e intervenções quanto necessário.